fbpx

A fina flor algarvia é de cristais de sal

São cristais riquíssimos aqueles que flutuam nas salinas do Parque Natural da Ria Formosa ou na Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António. É a mais fina flor que o Algarve pode conceder e muito apreciada. Falamos da flor de sal.

É na fina camada de espessura que cobre o sal grosso que se formam os cristais de flor de sal, devido ao processo de evaporação em condições climatéricas específicas. A sua recolha é um processo manual feito diariamente pelos marnotos e, depois de recolhida, não sofre qualquer processo de transformação.

Por ser 100% natural, retém melhor os nutrientes, como ferro, zinco, magnésio, iodo, flúor, sódio, cálcio, potássio e cobre. Mas a sua produção é escassa e a época produtiva diminuta. Talvez por isso haja quem também lhe chame ‘caviar marinho’.

A designação não vem ao acaso. A flor de sal, que começou por ser usada em casa dos marnotos, realça o gosto natural dos alimentos, conferindo um cheiro e um paladar mais intenso a cada produto. Mas deve apenas ser usada um pouco antes de confeção ou depois dos alimentos confecionados e em pequenas doses. E o facto de ser muito apreciada entre os Chefs da cozinha gourmet contribuiu para a fama.

A flor de sal produzida no Algarve é das mais conceituadas a nível internacional. A associação francesa Nature e Progress atribuiu-lhe a certificação de alta qualidade. E a sua produção em Tavira tem a Denominação de Origem Protegida. Qualidade, excelência e autenticidade, três adjetivos que podem designar a flor de sal algarvia.

Leave a comment

X