fbpx

Espanhóis e portugueses escolhem Algarve para Páscoa

Os turistas espanhóis e portugueses foram os que mais procuraram o Algarve em março, mês em que este ano se assinalou a Páscoa. O crescimento da procura, em particular dos nossos ‘vizinhos’, travou a queda que se verificou no último mês na ocupação média nos hotéis algarvios.

 Siga-nos no Facebook.

A Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) revelou que em março a taxa de ocupação global média por quarto ficou nos 53,8%, menos 1,1 pontos percentuais do que no mesmo mês do ano passado. Ainda assim, os proveitos subiram 13,6% devido à Páscoa se ter celebrado neste mês.

O mercado britânico continua a justificar a maior fatia da queda da ocupação global média por quarto no Algarve. Em comparação com o período homólogo de 2017, menos 5,3% de turistas britânicos visitaram a região. O ‘Brexit’ e a desvalorização da libra face ao euro continuam a explicar esta tendência que já se verifica há algum tempo. No mesmo sentido, também o mercado holandês registou uma quebra de 1,4%.

A travar maiores perdas estiveram os mercados espanhol e português. No primeiro caso, a procura mais do que duplicou: 140%. A procura nacional também cresceu 35%. Estes aumentos abruptos são explicados pelo facto de a Páscoa se ter assinalado em março, período em que tanto espanhóis, como portugueses escolhem para umas mini-férias.

A Páscoa é também a razão apontada para os proveitos globais terem subido 13,6%, uma vez que o valor por quarto “foi influenciado pelo aumento dos preços no período da Páscoa”.

Albufeira, a principal zona turística da região, registou uma subida de 1,6 pontos percentuais”, especifica a AHETA. Já Portimão/Praia da Rocha, Lagos/Sagres e Monte Gordo/VRSA foram as zonas geográficas que mais desceram.

Em termos acumulados, nos últimos 12 meses, a taxa de ocupação quarto regista uma subida de 0,9%”, conclui a AHETA.

Leave a comment

X