fbpx

Costa Vicentina guarda muitas riquezas

De Odeceixe (Aljezur) a Vila do Bispo há uma costa de maravilhas naturais que nos surpreendem a cada passo. São 60 quilómetros de encantos e riquezas que se escondem e revelam tão naturalmente como a natureza quase imaculada que aqui existe. É a Costa Vicentina, uma das áreas naturais mais bem preservadas, que se destaca pela sua paisagem imponente.

Esta faixa costeira, de caráter forte, selvagem e rochoso, tem um ambiente marcadamente atlântico, húmido e fresco, mas nas suas zonas meridionais também se faz sentir a influência mediterrânea. Dos contrastes surgem condições ecológicas únicas para as faunas marinha e terrestre e flora. Já foram identificadas mais de centenas de espécies de plantas e de aves.

Por aqui sucedem-se as praias, ora de areais extensos, ora pequenos encaixados entre as arribas rochosas. Quem não ouviu já falar das praias de Odeceixe, Arrifana, Vale dos Homens, Carriagem, Amoreira, Monte Clérigo, Castelejo, já considerada como a praia perfeita, entre muitas outras que convidam à aventura para as descobrir. Há quem as conheça não só pelo prazer da praia, mas também das ondas, ou não tivessem as ondas da Costa Vicentina fãs que vêm de todo o mundo para as surfar.

Muitos outros conhecem a Costa Vicentina dos seus trilhos pedestres, caminhos históricos, através dos quais se descobrem variados habitats naturais e se podem observar plantas endémicas e um grande número de espécies animais, quer em terra, quer a sobrevoar o céu.

É nesta terra única que a batata-doce encontrou um habitat perfeito. A batata-doce de Aljezur tem o selo de qualidade europeu que a identifica como produto de Indicação Geográfica Protegida e benefícios para a saúde não lhe faltam. E nas rochas, em particular de Vila do Bispo, esconde-se outra maravilha que integra as 50 experiências gastronómicas obrigatórias da Europa: os percebes. São produtos da terra e do mar que já merecem direito a festivais.

Nesta costa tão particular, o património une-se à natureza para se fundirem como se uma unidade fossem. Falamos da Fortaleza de Sagres e o Farol do Cabo São Vicente, no extremo sul da Costa Vicentina, construídos sobre as arribas em plena comunhão com a natureza. E quem não rende ao pôr-do-sol avistado a partir de Sagres?

Leave a comment

X