fbpx

Como será o futuro do Algarve? Está lançado o debate

Como será o futuro do Algarve? E de Portugal? Discutir os desafios deste século é o mote para o ciclo de conversas ‘O Algarve, Portugal e o Futuro’, que conta com a participação de diversas personalidades dos vários quadrantes da vida nacional e regional.

A primeira sessão decorre a 29 de novembro, na Escola Secundária João de Deus em Faro, a partir das 21:00, subordinada ao tema ‘Território e identidade: Desafios para o século XXI’. São convidados deste primeiro encontro Adriano Moreira, professor universitário, Guilherme d’Oliveira Martins, administrador executivo da Fundação Calouste Gulbenkian, João Guerreiro, antigo reitor da Universidade de Faro, Paulo Teixeira Pinto, antigo banqueiro, antigo presidente da editora Leya e responsável pela criação do Museu Zero, em Santa Catarina da Fonte do Bispo, Tavira, e Idálio Revez, jornalista do diário ‘Público’.

Refletir sobre o Algarve e Portugal numa perspetiva de futuro” e “ensaiar novas visões e ousar perspetivas e ideias positivas” são os objetivos deste ciclo de conversas, de acordo com o Rotary Club de Faro e a Editora Sul, Sol e Sal, promotoras do evento. Deseja-se ainda que seja criado um pensamento crítico a usar na construção de ideias para a região, nomeadamente em temas tão importantes e variados, como economia, educação, ambiente, cidades e cultura.

A segunda sessão das conversas também já tem data marcada. Acontece a 26 de janeiro e o debate centra-se na economia. São convidados António Rebelo de Sousa, economista, André Jornal, empresário, e Vítor Neto, presidente do Conselho Geral da Universidade do Algarve.

Nessa mesma ocasião será também apresentado o livro ‘O Algarve em Números’, um estudo económico realizado por António Rebelo de Sousa a convite da editora Sul, Sol e Sal.

Leave a comment

X