fbpx

À descoberta dos segredos e recantos da Ria Formosa

A Ria Formosa é uma das maravilhas naturais não só do Algarve, mas também de Portugal. É por isso que o convidamos a fazer um passeio para conhecer melhor os cantos e recantos deste Parque Natural que se estende ao longo de 60 quilómetros da costa do Sotavento Algarvio.

Para começar esta viagem, convidamos a uma visita ao Miradouro de Santo António do Alto ou ao Arco da Vila, ambos em Faro, para ter uma ampla vista panorâmica sobre a Ria Formosa. E a Vila Adentro merece que por ela dispense algum tempo.

 Siga-nos no Facebook.

Sem perder a Ria de vista, seguimos para Olhão, cidade que parece ter sido trazida do norte de África para o sotavento algarvio. Merece por aqui uma visita aos bairros típicos e ao Mercado, onde encontra alguns dos melhores sabores que a Ria oferece.

A partir de Faro ou de Olhão, pode apanhar as ligações feitas por barco para as ilhas da Ria: Barreta, Culatra e Armona. Por lá, pode desfrutar do saudável convívio entre o homem, a paisagem e o que a Ria pode oferecer. E se estiver bom tempo, descanse nos longos areais.

Deixando o centro urbano de Olhão, há a explorar o Centro de Educação Ambiental de Marim, onde pode visitar o moinho de maré de Marim, vestígios arqueológicos ou habitações tradicionais recuperadas. O Centro tem um percurso pedestre, de fácil acessibilidade, onde pode ainda observar a avifauna selvagem.

Seguindo para este, vale a pena visitar a Torre de Aires, uma torre de planta circular em alvenaria, que se supõe ter origem árabe. A torre tinha como função vigiar a costa de possíveis ataques piratas e é ainda um belo exemplar do sistema defensivo que existia na Região.

Durante este passeio, Santa Luzia, a vila piscatória junto à Ria Formosa, merece também uma visita e uma paragem para degustar as receitas tradicionais de polvo, ou não fosse este o único porto nacional que se dedica em exclusivo à pesca deste molusco.

Em Tavira, reserve algum tempo para conhecer as ruelas do centro histórico, o castelo, os vestígios romanos e as reminiscências da presença árabe. Olhando a vista, os telhados de tesouro dão uma identidade arquitetónica rara, antes de se vislumbrarem longas e cortadas salinas, de onde é extraído sal e flor de sal com Denominação de Origem Protegida. Para assistir à recolha do sal, o melhor é vir no final do verão. Se tiver tempo, não deixe de visitar uma das mais de 20 igrejas que há na cidade.

Chegamos, então, ao último ponto deste passeio: Cacela-Velha. Aldeia classificada como Imóvel de Interesse Público vai deixá-lo de boca aberta com a vista sobre a Ria Formosa. A pequena aldeia encavalitada na falésia é motivo de interesse também pelos achados arqueológicos e pelo seu valor patrimonial. Romanos e árabes estabeleceram-se aqui e dela fizeram um ponto de grande interesse. Lá em baixo está uma das poucas praias que ainda permanecem quase em estado selvagem: a Praia da Fábrica, que já foi considerada uma das melhores do mundo.

Este passeio pode ser feito de carro, mas também de bicicleta. Em algumas zonas, há mesmo percursos destinados para as bicicletas. E pode sempre embrenhar-se pelos trilhos e descobrir muitas outras belezas do Parque Natural da Ria Formosa.

Leave a comment

X