fbpx

Month: Mar, 2018

Orelha de porco, javali, açorda de galinha, porco ou gelado de queijo de cabra são apenas alguns dos sabores da serra que vão estar em destaque pelo 15º ano consecutivo em sete restaurantes de Cachopo, Santa Catarina da Fonte do Bispo e Tavira.

 Siga-nos no Facebook.

Entre 6 a 22 de abril, o Festival de Gastronomia Serrana acontece nos restaurantes Retiro de Caçadores, Cachopo, O Constantino, O Monte Velho, Herdade da Corte, Quinta do Marco e Taberna Barriga, em Santa Catarina da Fonte do Bispo, e Monte Baleeira, em Tavira.

À disposição dos aderentes estão ainda sopas, saladas, queijos e enchidos, como entradas, e galo de campo, borrego, veado, cozido de grão, como pratos principais. Bem acompanhados de vinhos regionais, as refeições não terminam sem torta de batata-doce, mousses de café e figo, bolo de mel ou fruta de época.

Além dos fantásticos sabores, os participantes habilitam-se ainda a ganhar uma estadia no Herdade da Corte, Hotel Rural Quinta do Marco ou Pensão Agrícola, além de uma atividade de animação turística.

O Algarve prepara-se para assinalar três efemérides regionais importantes que marcaram o ano de 1918 com programa de atividades. Quatro conferências e uma exposição vão acontecer entre abril e novembro nos concelhos de Faro e São Brás de Alportel.

 Siga-nos no Facebook.

O ano de 1918, há precisamente um século, ficou marcado pela gripe pneumónica, a inauguração do Sanatório Carlos Vasconcelhos Porto e o fim da I Guerra Mundial. “Há aqui, de facto, 100 anos de três coisas que nos marcam, na nossa história regional e local. Juntámos esforços e houve uma adesão imediata das várias entidades em torno desta proposta de ciclo de conferências”, afirmou Alexandra Gonçalves, diretora regional de Cultura.

Relativamente há Saúde, vão decorrer três conferências: ‘A Gripe Pneumónica – Investigação’, a 13 de abril, em Faro, ‘Instituições e Património Arquitetónico: Um Século de Arquitetura Hospitalar no Algarve, a 30 de maio, em Faro e ‘Comemorações do Centenário do Sanatório Carlos Vasconcelos Porto’, a 8 de setembro, em São Brás de Alportel. Ainda nesta vila, estará patente a exposição ‘Espaços e Personalidades Ligadas à Saúde no concelho de São Brás de Alportel’ a partir de 1 de junho.

‘O Fim da Guerra Mundial’ é o título da conferência que decorre a 9 de novembro, em Faro, para assinalar a conclusão do primeiro grande conflito à escala global. Alexandra Gonçalves frisou que há “particularidades da história que é preciso dar a conhecer à população”, para que “não se repitam os erros do passado” e para que se encontrem “pistas que permitam enfrentar questões que surjam no futuro”.

Francisco George, antigo Diretor-Geral de Saúde, e Fernando Rosas, historiador, são duas presenças já confirmadas nas conferências a realizar.

A cada domingo de Páscoa, os homens empunham tochas artísticas gritam em uníssono “Ressuscitou como disse? Aleluia, aleluia, aleluia”. São Brás de Alportel revive a cada ano a ancestral Procissão de Aleluia.
 Siga-nos no Facebook.
Os preparativos começam um ano mês antes com a recolha de flores campestres nos campos algarvios. São Brás de Alportel é enfeitada num trabalho minucioso e artístico com um tapete de flores de um quilómetro. Às janelas e varandas, os residentes colocam colchas para homenagear a passagem da procissão. À tradição religiosa, juntam-se os sabores da doçaria tradicional de São Brás de Alportel e o melhor do artesanato local.
A tradição da Festa das Tochas Floridas, cumprida anualmente no Dia de Páscoa, tem um caráter religioso, mas assinala ainda um dos momentos mais significativos do Algarve: a expulsão das tropas inglesas comandadas pelo duque de Essex, que saquearam a cidade de Faro em julho de 1596, pela confraria dos moços solteiros.
Nessa época, as confrarias eram obrigadas a levar uma tocha acesa ou luminária e, mais tarde, à falta de cera, levavam paus pintados e ornamentados com flores. A Procissão de Aleluia começou a ser realizada nos primeiros anos do século XVII em São Brás de Alportel, tornando-se uma das mais importantes manifestações religiosas da região.
Atualmente, os homens carregam as tochas floridas e formam duas alas para formar a procissão pelas ruas de São Brás. Apenas os homens podem carregar as tochas, uma vez que as confrarias eram apenas compostas por homens.

Mesmo com previsão de tempo mais instável, o Algarve continua a ser o destino de eleição dos portugueses para passar umas mini-férias na Páscoa. Albufeira, Vilamoura e o Sotavento são as regiões mais procuradas.

 Siga-nos no Facebook.

Em todo o Algarve, a lotação média dos hotéis ronda os 80%, um valor acima do registado no último ano. Desidério Silva, presidente da Região de Turismo, explica que “o Algarve apostou fortemente numa maior diversidade como alternativa ao sol e à praia”.

Mas nem só os portugueses rumam a Sul. Os novos produtos turísticos, mais adequados a esta época, fazem a diferença na captação de outros públicos, “como os EUA, Brasil, Escandinável ou França”, afirma Dora Coelho, diretora da Associação de Turismo do Algarve, que sublinha a importância de serem uma alternativa “face ao nosso mercado principal que continua a ser o Reino Unido”.

Apesar de a meteorologia continuar instável e estar prevista alguma chuva, o Sol deve espereitar durante todo o fim de semana de Páscoa e as temperaturas máximas aproximam-se dos 20 graus, de acordo com as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

A Praia da Falésia, em Albufeira, é a melhor praia de Portugal e a 12ª melhor do mundo. A escolha é dos viajantes que publicaram a sua opinião no site ‘TripAdvisor’. A preferência contribui também para Albufeira estar no top-3 dos destinos nacionais preferidos dos turistas.

 Siga-nos no Facebook.

As escolhas foram reveladas no ranking anual ‘Traveler’s Choice 2018’ que se baseia nas mais de 60 milhões de avaliações dos viajantes. A Praia da Falésia é descrita no site especializado como “a mais linda praia do Algarve, vista deslumbrante, águas calmas e cristalinas, contraste de cores entre os tons alaranjados das falésias e os tons azulados do mar!”. Os trilhos junto à praia também são apreciados.

No top-5 nacional só constam praias algarvias. Seguem-se a Dona Ana, em Lagos, a da Rocha, em Portimão, a praia de São Rafael, também em Albufeira, e a da Marinha, em Lagoa, respetivamente.

A nível mundial, a Praia da Falésia está no 12º posto de um ranking dominado por praias das Caraíbas. Em termos europeus, apenas a praia de la Concha, em Espanha, e a praia de Elafonissi, na Grécia, surgem na dianteira da praia algarvia.

Os bons resultados das praias de Albufeira contribuem claramente para colocar este local como um dos três melhores a visitar em Portugal. A cidade algarvia surge após Lisboa e Madeira e à frente do Porto, Portimão e Lagos, respetivamente.

O Dia Nacional dos Centros Históricos assinala-se no próximo dia 28 de março, mas já a partir deste sábado pode partir à descoberta dos seus segredos através de diversas atividades orientadas.

 Siga-nos no Facebook.

Em Faro, há duas visitas guiadas neste sábado a partir do Arco da Vila. Os passeios gratuitos e sem inscrição realizam-se às 10:30 e às 16:15 e têm a duração de uma hora.

Portimão une atividades dedicadas aos jovens com a sua história e realiza pela terceira vez o Encontro Urban Sketchers, que decorre ao longo de todo o fim de semana. O objetivo é colocar todos os amantes desta arte a desenhar a cidade.

Se visitar os monumentos de Silves no dia 28 vai ser recebido por figuras históricas. Nâo acredita? No Castelo de Silves, o anfitrião será o Rei D. Sancho I, na Igreja Misericórdia estará a Rainha D. Leonor, na Sé Catedral recebe os visitantes o Bispo D. Jerónimo Osório e dá as boas-vindas ao Museu Municipal de Arqueologia Diogo de Silves, descobridor dos Açores. Haverá ainda diversas ao longo de todo o dia abertas a todos os visitantes.

Que os pratos e petiscos portugueses são apreciados dentro e fora de portas, já se sabe, mas agora a gastronomia portuguesa chega a outro patamar. Em 2018, vão ser eleitas as melhores receitas nacionais e o Algarve concorre com diversas receitas que vão do mar à serra.

 Siga-nos no Facebook.

“Chegou a hora de elegermos alguns dos patrimónios mais apreciados pelos portugueses: a Gastronomia associada aos Vinhos e a Roteiros Turísticos. Vamos votar o prazer de estar à mesa e também o prazer de ir para lá, de lá chegar, de lá estar. Trata-se por isso de comer, de beber e de andar por roteiros turísticos, desfrutando do melhor que a vida tem para nos oferecer” sublinha Luis Segadães, presidente das 7 Maravilhas.

As candidaturas algarvias já foram apresentadas ao concurso e as propostas estendem-se do mar à serra e contemplam todas elas o devido acompanhamento de vinhos locais. Lagoa leva a sardinhas ‘de boa morte’, papas de milho, lulas cheias, feijão com couve e carnes de salgadeira. Já a Ilha da Culatra sugere panados de peixe-aranha e cataplana de peixe e marisco.

De Tavira chega uma mesa que só podia homenagear o seu património gastronómico de maior relevo: a dieta mediterrânica. Amêijoas da Ria Formosa, caldeirada de bife de atum fresco, salada de ovas de polvo ou arroz de ostras com espumante são algumas das sugestões. Cataplana com ouriços-do-mar e lapas, frango à guia, carapaus alimados e javali são as propostas de Albufeira.

O processo é semelhante aos anteriores concursos. As propostas serão analisadas por um júri que irá selecionar um total de 49 pré-finalistas, sete por cada região de Portugal, onde se inclui o Algarve. Depois será o público novamente a votar pela melhor proposta de cada região. Enquanto se desenrola o concurso, o melhor é ir provando todos os pratos!

O Algarve é mundialmente conhecido por ser uma das regiões mais aprazíveis para visitar. Naturalmente, a região está em particular nesta categoria no Portugal City Brand Ranking de 2018, publicado recentemente pela Bloom Consulting, com cinco concelhos no top-25 nacional.

 Siga-nos no Facebook.

Sem grandes surpresas, Albufeira é o destino algarvio preferido para visitar, apesar de ter caído da quarta para a quinta posição nacional, por troca direta com Cascais, na região de Lisboa. Segue-se imediatamente Portimão, que mantém a sexta posição.

Faro mantém a 11º posição, apesar de a nível regional ter subido um lugar para o posto mais baixo do pódio, em troca direta com Tavira. Neste ranking que analisa os 308 municípios portugueses, a cidade do Sotavento é a grande surpresa ao ter caído sete posições, ficando neste ano no 16º posto. Ainda assim, e de acordo com a consultora internacional, na pesquisa sobre a categoria turismo, “os municípios que se encontram da 14ª à 18ª posição estão separados por apenas uma décima de pontuação”.

O top-25 nacional não termina sem a presença de Lagos, que mantém a sua 22ª posição do ranking.

O ranking regional está ordenado da seguinte forma: Vila Real de Santo António, Silves, Olhão, Aljezur, Castro Marim, Vila do Bispo, Lagoa, Monchique, Alcoutim e São Brás de Alportel.

Os festivais realizados no último ano conquistaram quatro prémios nos Iberian Festival Awards. O Festival MED foi o grande vencedor ao conquistar o galardão de Melhor Festival de Média Dimensão da Península Ibérica.

Este foi o segundo ano consecutivo que o certame que decorre no centro histórico de Loulé venceu nesta categoria, confirmando a sua importância no panorama cultural. Além deste, o MED arrecadou ainda o prémio de Melhor Promoção Turística a nível nacional.

 Siga-nos no Facebook.

“Em Loulé, fazemos um festival muito concorrido e muito apreciado por quem nos visita. A cada ano, tentamos superarmo-nos, fazendo cada vez melhor”, sublinha Vítor Aleixo, presidente da Câmara de Loulé.

Na cerimónia que decorreu na quinta feira, no Fórum Lisboa, o Festival F, em Faro, foi ainda distinguido, pela atuação de Miguel Araújo, na categoria Melhor Atuação Portuguesa e/ou Espanhola, a nível nacional.

O The BPM Festival, que se realizou pela primeira vez no verão de 2017 em Lagoa e Portimão, venceu ainda na categoria de Melhor Novo Festival de Portugal e Espanha.

A beleza rural de Tavira é palco para um festival diferente que decorre ao longo de três semanas na Quinta Braz. O Portugal Contact Gathering acontece de 2 a 23 setembro, com a participação de muitos artistas.

“Está convidado a passar três semanas com a sua família em pleno contacto numa casa de campo privada próxima da costa algarvia”, pode ler-se na página oficial do evento. “Vamos viver, comer e dançar juntos num ambiente rural entre colinas e o mar”, sublinha a organização.

 Siga-nos no Facebook.

O Festival arranca a 2 de setembro para uma semana em que os festivaleiros são convidados a preparar o espaço, num convívio que termina no dia 9. Na semana seguinte, de 10 a 16 de setembroo, decorre o Portugal Contact Festival com a presença de professores portugueses e estrangeiros, músicos que atuarão ao vivo e cozinheiros que irão preparar comida local.

Estão já confirmadas as presenças de Kira Kirsch (Alemanha), Vega Katri Luukkonen (Findândia), Pedro Paz (Portugal), Andrea Scheel (México), Howard Sonenklar (Portugal), Marielle Gerke (Alemanha), Kabeção (Portugal), Dolores Dewhurst-Marks (Reino Unido), Baltazar Molina (PT), entre muitos outros.

A última semana do Festival, de 17 a 23 de setembro, é dedicada aos elementos naturais de terapia, através de exercícios na praia. “Uma jornada evolutiva desde a água para a terra e a dança”, acrescenta a organização.

As inscrições já estão abertas. Os festivaleiros podem trazer a sua própria tenda ou alugar uma no local ou optar por reservar um quarto. Todas as informações estão disponíveis no site da organização.

X